top of page
  • Foto do escritoranacef

20º Aniversário da Anacef

Atualizado: 13 de mar. de 2023

Quinta-feira, 09 de março de 2023, completamos 20 anos de fundação!

Para celebrarmos juntos mais esta conquista, durante este mês, compartilharemos memórias de pessoas que protagonizaram nossa desafiadora trajetória de trabalho, luta e união em defesa dos Avaliadores de Penhor da CAIXA.

Você também faz parte dessa história!

Acompanhe esta e outras ações em comemoração às duas décadas de atuação da ANACEF.


Palavra de quem fez história

"Assim que voltei do Curso de Formação em 1988 tive contato com colegas que fizeram parte de uma das tentativas de criação de uma associação de Avaliadores, que pudesse, através de uma sólida união, reivindicar e conquistar melhorias de condições de trabalho e exploração de todo o potencial do Penhor sem se descolar de seu papel social.

Aquela ideia não saiu mais da minha cabeça, e se firmava a cada vez que me deparava com as frequentes arbitrariedades da CAIXA, tornando-se um objetivo a ser alcançado.

Independente do governo e da direção da CAIXA no momento, os Avaliadores sempre tiveram muita dificuldade em ver suas reivindicações debatidas nas mesas de negociação com a empresa, devido à alta especificidade frente às demais reivindicações da categoria bancária.

Outra dificuldade era a organização, a nível nacional, destas reivindicações. O que só seria possível com a criação de uma entidade dedicada a esta finalidade.

O que tínhamos mais próximo disso eram os jornais/informes voltados exclusivamente para os Avaliadores, que eram divulgados pela Instrutoria, sediada nos Laboratórios de Penhor do RJ e de SP. Eram basicamente dicas e novidades voltadas para a questão técnica.

As reivindicações de transparência, reconhecimento (melhoria salarial) e encarreiramento eram verdadeiros tabus e motivo de perseguições internas. Bom lembrar que o bancário da CAIXA só passou a ser considerado bancário mesmo com a greve histórica de 1986, quando a carga horária passou para 30 horas semanais.

Com a evolução da comunicação interna na CAIXA, a principal barreira no caminho da concretização do sonho de criação da ANACEF foi sendo derrubada aos poucos.

Como a direção da CAIXA sempre teve um perfil de truculência, ao perceberem que uma união de objetivos/ideias estava se formando entre os Avaliadores dos mais diversos lugares, a gestão chegou a proibir a troca de mensagens, que diminuíram de intensidade, mas não cessaram.

A onda de otimismo vinda após a eleição de 2002 foi ponto de partida para a convocação de um Encontro de Avaliadores de todo o país na APCEF de Brasília.

Ali, além dos debates com a participação dos gestores sobre os temas que mais impactavam nossa atividade, decidimos pela necessidade de fundação de uma Associação dos Avaliadores que desse conta de manter os debates, organizar as pautas de reivindicações e que promovesse a união necessária para enfrentar a intransigência da gestão. Sabíamos desde sempre que a maioria das promessas da gestão não se concretizava.

Formamos um grupo de trabalho voltado para a elaboração do Estatuto da associação, em que também se discutiu a necessidade de constar no mesmo que uma das finalidades da ANACEF também seria a de reivindicar diretamente à CAIXA além das cláusulas constantes nas pautas de reivindicações, questões emergenciais que surgissem.

A mesa de negociação da categoria sempre seria privilegiada, mas quando esta não levasse nossas reivindicações ao debate ou quando não as respeitasse, passaríamos a negociar diretamente.

Esta se mostrou uma decisão acertada, pois infelizmente, apesar de nossa Pauta ter sido entregue em "todos" os CONECEFs desde o ano da fundação da ANACEF, ela nunca foi levada para o debate, bem como nunca permitiram nossa participação na mesa para tratar de nossos assuntos específicos.

Assumimos a direção da ANACEF em 2005, um ano extremamente conturbado para o Penhor, com a mudança do sistema de controle da operação e interrupção dos leilões, com os Avaliadores sem qualquer orientação da gestão e tendo que se virar no atendimento.

Lembra até os dias atuais, não? Os problemas tenderam a se perpetuar, com a gestão cada vez se distanciando mais dos Avaliadores e tomando decisões sem qualquer consulta a quem trabalha com o produto diariamente, além do estabelecimento de uma agenda de retirada de direitos, e uma total omissão quanto a nossa Pauta de Reivindicações.

Além das dificuldades encontradas com a gestão, a reticência dos próprios Avaliadores em reconhecer a importância de uma entidade profissional e participarem de forma mais ativa e unida na cobrança das soluções dos problemas tem sido um ponto a ser vencido para que possamos lograr êxito em conquistarmos o lugar que merecemos.

Eu e Elisa tivemos que nos "perpetuar" à frente da ANACEF pelo simples motivo dos colegas não se disporem a oferecer um pouco de seu tempo para o desenvolvimento de suas próprias vidas profissionais, não havendo inscrição de chapas para a eleição da Diretoria, o que nos obrigava a continuar.

Como sempre disse, a atividade de avaliar garantias para o Penhor requer que se goste muito do que se faz, requer dedicação e consciência do lugar histórico que se ocupa.

Quem me conhece mais proximamente ou acompanha meus textos publicados até hoje, sabe que sempre defendi uma oxigenação constante nas direções das entidades representativas, e isso não é diferente com relação à ANACEF.

Nas reuniões que promovemos em diversos Estados após a tentativa da CAIXA de retirar o Adicional de Insalubridade, conheci a Michele, no RS. Dali pra frente ela demonstrou que possui os requisitos de envolvimento, disponibilidade e paciência com todos, além de amor pelo que faz. Juntando a tudo isso há um entendimento da política que cerca as negociações com a CAIXA e a preocupação de não deixar que a ANACEF se torne um braço desta ou daquela tendência política dentro do movimento bancário, o que sempre lutei para evitar.

Em 2019, como forma de se fazer uma transição gradual, a Michele compôs a chapa como Vice-Presidente, para na eleição seguinte, com sua imagem, dedicação e atuação consolidadas no universo dos Avaliadores, se candidatar e eleger Presidente da ANACEF.

A ANACEF comemora hoje seus vinte anos, sempre se posicionando na defesa dos Avaliadores e do Penhor, já contando com mais de 2/3 dos Avaliadores associados, conscientes da importância de uma representação profissional. Espero que esta consciência se manifeste na totalidade do quadro de Avaliadores da CAIXA, aumentando, através de uma união sólida, nosso poder de voz nas negociações e o respeito às necessidades específicas da atividade."


João Carlos Pereira Ramalho

Co-fundador da ANACEF, presidiu a associação de 2005-2022 e atualmente ocupa o cargo de Vice-presidente. É Avaliador de Penhor há 35 anos e exerce a atividade na Ag. Jardim Botânico/RJ.

319 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Edital 01/2024 A Associação Nacional dos Avaliadores de Penhor da Caixa Econômica Federal (ANACEF), pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o nº 07.001.021/0001-70, com sede na rua Re

1 Comment


Parabéns ANACEF e seus representantes pelas iniciativas e perseverança. A caminhada pode ser desafiadora, porém necessária e relevante. Grato pelas orientações.

Like
bottom of page